Judô Notícias

Arbitragem

Árbitro internacional, Marcelo Colonna representa Time Judô Rio na Copa Pan-Americana Sub-18 de Lima

16.V

Judô Rio
Renomado árbitro do Rio de Janeiro marcou presença no evento-teste para os Jogos Pan-Americanos que serão realizados na mesma capital peruana. Colonna conversou com o site para contar um pouco da experiência. Ainda em maio, Jeferson Vieira, superintendente da FJERJ, atuou no Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, e no Grand Prix de Hohhot, na China

Renomado árbitro do Rio de Janeiro marcou presença no evento-teste para os Jogos Pan-Americanos que serão realizados na mesma capital peruana. Colonna conversou com o site para contar um pouco da experiência. Ainda em maio, Jeferson Vieira, superintendente da FJERJ, atuou no Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, e no Grand Prix de Hohhot, na China

O último dia 1º de junho foi de mais um evento-teste para os Jogos Pan-Americanos de Lima: a Copa-Pan Americana Sub-18. No mesmo Coliseo 1 de Videna onde será realizado o torneio de judô no evento de julho e agosto, atletas de seis países estiveram nos tatames. O Time Judô Rio esteve representado na arbitragem: Marcelo Colonna esteve lá para a competição internacional.

Colonna é árbitro FIJ B, apto a trabalhar em competições de grande porte e falou sobre a importância da Copa Pan-Americana como evento e para a arbitragem como um todo.

“A competição foi em Lima, no Peru, e foi um dos eventos preparatórios para os Jogos Pan-Americanos. O evento aconteceu nas próprias instalações onde serão os Jogos e contou com uma ótima estrutura. Contou com a participação de vários países, entre eles Portugal e Líbano, além dos atletas da casa”, contou.

“A importância foi muito gratificante, uma vez que serviu de experiência. A convivência com árbitros de outros países e a troca de informações são de suma importância para o crescimento na formação de um árbitro. O árbitro deve estar sempre bem preparado. Parafraseando o mestre da arbitragem nacional, Professor José Pereira Silva: o árbitro tem que saber judô”, concluiu.

Colonna destacou ainda a força pessoal e familiar para a participação nesse tipo de eventos e todas as viagens inerentes à vida dos árbitros.

“Estar sempre apto para atuar requer uma cessão de sacrifícios, especialmente no que se refere a família. Mas eles entendem! Espero ter correspondido à altura a responsabilidade que me foi imputada. E espero ainda estar bem preparado para realizar o exame para a mais alta qualificação na arbitragem.

Agradeço a Confederação Brasileira de Judô e a Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro que não medem esforços para reconhecer e enaltecer os árbitros”, finalizou.

Além dos convidados Portugal e Líbano e dos atletas da casa, do Peru, delegações de Argentina, Chile e Panamá também participaram. Os atletas brasileiros estão em período de Estágio Internacional pela Europa.

Em maio, a arbitragem do Judô Rio também esteve representada em dois grandes eventos. Jeferson Vieira, superintendente da FJERJ, atuou no Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, e no Grand Prix de Hohhot, na China. O árbitro FIJ A, que atuou no Jogos Paralímpicos Rio 2016, faz parte do seleto grupo de árbitros que está se preparando para atuar nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Colonna e Jeferson são os herdeiros de uma grande tradição da Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro na arbitragem que já teve como expoentes José Pereira e Emmanuel “Maranhão” Mattar.

www.judorio.org
Judô Rio

Mais...

Buscas

Todas as notícias